Reiki no Hospital de S. João? Desde 2012

É verdade desde 2012 que os doentes hemato-oncológicos (pessoas com cancros do sangue como linfomas e leucemias) internados no Hospital de São João, no Porto, são tratados também com terapias Reiki para diminuir os efeitos da quimioterapia.

A enfermeira Zilda Alarcão é a mentora e coordenadora deste projeto, que resulta de um protocolo entre a Associação Portuguesa de Reiki e a Associação de Apoio aos Doentes com Leucemia e Linfoma. E garante que o Reiki melhora significativamente a qualidade de vida dos doentes e minimiza os efeitos da quimioterapia.

Entre 2007 e 2009, com autorização da Comissão de Ética, Zilda Alarcão conduziu uma investigação sobre o impacto das terapias Reiki na qualidade de vida dos doentes oncológicos. Recorreu a um documento oficial da Organização Mundial de Saúde para tratar os dados recolhidos durante a investigação.

Para esta enfermeira, que falou à MAGG, a aplicação de Reiki “diminui ou chega a anular todos os efeitos colaterais da quimioterapia, tais como as diarreias, as aftas, os vómitos, para além de melhorar as defesas do organismo e melhorar a qualidade do sono e do repouso”.

Zilda Alarcão fala, também à MAGG, que estas terapias podem ter um efeito psicológico muito forte: “Os doentes aceitam mais a sua imagem, principalmente quando falamos da queda do cabelo, e têm uma atitude mais positiva face à gravidade da sua situação. Estas terapias ajudam a diminuir e a controlar a ansiedade, os sentimentos de revolta, incerteza e negatividade, e conduzem a uma maior paz interior e bem-estar, podendo ainda ajudar a morrer com serenidade”.

Artigo publicado por

Do seu interesse

Artigos relacionados

Menu